Sou empresária, tenho 62 anos e moro há 45 anos na Avenida Paulista.

Morar na Avenida Paulista era um sonho do meu pai, a família toda veio morar na Paulista. Hoje moro só com minha mãe que tem 95 anos.

Acompanhei quase todas as modificações da Avenida Paulista e infelizmente hoje está em sua pior condição, completamente deteriorada. Falta de segurança, muitos moradores de rua, sujeira, camelôs, bicicletas que não respeitam os pedestres, skates nas calçadas, quebrando toda calçada, manifestações de todo tipo e principalmente  barulho de bandas e músicos, que ficam por mais de 12 horas na frente da nossa casa, enlouquecendo os moradores, muitas vezes ficando até depois das 22h, em quase todos os dia da semana.

Aos domingos o fechamento da Avenida para os carros, tornou-se um transtorno para os moradores, para quem vem passear, fica 1 ou 2 horas, e depois volta para suas casas e tem tranquilidade e silêncio para poder descansar, já os moradores são obrigados  a aguentar mais de 12 horas de barulho, além de serem hostilizados quando querem sair ou entrar em suas casas. É uma situação muito difícil, morador da Avenida Paulista não tem direito de ir e vir, e nem direito ao silêncio e a tranquilidade, nos finais de semana.

A solução, deixar de ser rua fechada aos domingos, as calçadas são suficientemente largas para quem quiser vir passear na Paulista. O decreto nº 55.684 de 12/11/2014 do ex-prefeito, "veda o fechamento em vias que haja templos de qualquer culto, hospitais, linhas regulares de ônibus, bares, lanchonetes, estabelecimentos de alimentação de qualquer natureza ou qualquer outro tipo de comércio", existem todos na Avenida Paulista. Ela nunca poderia ser fechada.

Acabar com o barulho em frente aos prédios residenciais, se for indispensável ter músicos na Avenida, que fiquem em frente ao Trianon e ao MASP, que não tem residência.

Tentar retirar os moradores de rua da Paulista, o aumentou muito nos últimos anos.

Ter mais segurança para que possamos voltar a caminhar com prazer e não com medo pela Avenida Paulista.

Maria Helena Milan

Moradora