Cozinhar.

Se você começou a se interessar por este assunto nos últimos (talvez quinze) anos, provavelmente algo te incomodou no seu trabalho, nas suas ocupações...

Desconfio que seja porque a tecnologia tem contribuído progressivamente para tirar a autoria e o controle sobre o resultado de nossos trabalhos. Realizamos esforços, dedicamos tempo, envolvemos habilidades para produzir algo.

E quando finalizamos, esse “algo” parece escapar de nós: passa a ser reproduzido, ser comercializado, consumido, sem que possamos acompanhar ou saber dos envolvidos...

Fica um vácuo com tantos aplicativos, tanta mobilidade e redes que a tecnologia nos proporciona, por um lado aproximando e conectando pessoas, porém, por outro lado, sem desenvolver a complexidade de experiências que somos capazes de vivenciar. Ficam as frustrações e os fracassos, apesar dos investimentos envolvidos - emocionais, principalmente.

Mas... o ser humano tem a alteridade em sua natureza. Somos seres capazes de mudar e sofrer mudanças através de relações com os outros e o meio. Relações, não comunicação. Nas relações existe o processo de formação da identidade de cada um: quando nos relacionamos, criamos não canais, mas vínculos, com conteúdos internos e afetivos. Podemos desejar realizar, podemos querer ser nas relações.

Tenho uma hipótese sobre o crescente interesse das pessoas pela Gastronomia... O que mobiliza tantos sentidos e sentimentos quanto uma comida preparada por você? Algo fruto de seus esforços, que envolve técnicas, criatividade e harmonizações... que envolve memória, desejos, intenções... e que resulta em uma produção concreta. Uma produção que pode ser consumida – literalmente – através de todos os sentidos. E, mais além: ser compartilhada e internalizada. Que tem o poder de reunir pessoas e  de criar vivências. Que possibilita a conferência e o reconhecimento imediato da qualidade do seu trabalho de forma direta e presencial.

Não é esta a sua carência? Ou este o seu desejo?

Então, vamos tornar esta experiência mais enriquecedora?

Eiji Tomimatsu

Chef


Foto: Yuri Mine 

Eiji Tomimatsu, 

Chef há mais de 12 anos, atua em Consultoria gastronômica e Coaching de carreira. Experiência como docente na Graduação e Pós graduação em Gastronomia na Estácio, São Camilo, Senac e Anhembi Morumbi entre outras instituições. Possui graduação em Administração pela FGV e Gastronomia pela UAM, pós-graduação em Gerenciamento de projetos, Marketing e RH pela FGV, especialização em Gastronomia Funcional pela Famesp e Orientação Profissional pelo Instituto Sedes Sapientiae.  É autor de livros e DVDs na área acadêmica e práticas de cozinha.