Vocês já ouviram a expressão “São Paulo é uma selva de pedra”?

Acredito que sim. Todos sabem o que isto quer dizer. São Paulo é uma cidade difícil de se viver, com excesso de pessoas apressadas, longas distâncias, trânsito difícil - elementos estes que dificultam os relacionamentos, separam as pessoas, geram stress.

O site Mega Curioso que afirma que as coisas mais curiosas podem ser encontradas nele, dá dicas para melhorarmos nossa saúde e todas elas pregam a aproximação com o meio ambiente, perpassando pela educação.

Vamos a elas:

  1. Sol, nos horários de menor risco e por períodos de 15 minutos é fundamental para os ossos e dentes, pois o sol é fonte de vitamina D e a vitamina D ajuda a fixar o cálcio. O sol ajuda também a controlar o nosso relógio biológico, regulando nossa hora de dormir e acordar;
  2. O contato com a natureza ajuda a diminuir o stress, pois diminui a reação ao excesso de tarefas, preocupações e obrigações. O contato com a natureza ajuda a “esvaziar” a cabeça. O contato com a natureza, livre de tecnologias, ajuda a relaxar. O nosso cérebro precisa de descanso e isto só se consegue quando sua mente está vagando sem nenhum compromisso. E isto acontece muito mais facilmente quando vamos dar um passeio em um ambiente relaxante do que quando estamos na “selva de pedra”;
  3. Um estudo holandês mostrou que atividades de lazer em ambientes fechadas têm menor impacto no humor do que atividades em contato com a natureza. Você sabia que olhar mais longe, por exemplo, previne a miopia precoce?;
  4. Ambientes poluídos exigem mais do corpo para manter a oxigenação e, consequentemente, a pressão arterial em níveis desejados, do que ambientes abertos e sem poluição. Uma respiração acelerada é um prato cheio para que seu corpo fique em estado de alerta e, consequentemente, estressado. Por outro lado, respirações lentas e profundas são capazes de deixar você mais calmo rapidinho. O ar fresco ajuda a regular os níveis de serotonina e, consequentemente, promover sensações de felicidade e bem-estar. Além do mais, o ar “puro”, encontrado em ambientes naturais tem um efeito ainda mais relaxante em nosso corpo. O ar de ambientes não poluídos, como uma cachoeira em um lugar afastado, aumenta a amplitude das ondas cerebrais, o que cria um efeito tranquilizante imediato;
  5. A terra também é uma fonte de energia e alegria, e isso já é cientificamente comprovado: uma pesquisa feita pela Universidade do Colorado revelou que uma bactéria inofensiva, encontrada no solo, pode agir como uma espécie de antidepressivo natural;
  6. Cientistas de diversos países - como Holanda, Reino Unido e Japão - perceberam que, ao entrar em contato com o verde, o corpo logo responde, de forma sutil, com pressão mais baixa e maiores níveis de glóbulos brancos (responsáveis pelas defesas do organismo), entre outros.

Então como viver, ou, até, sobreviver em São Paulo?

Como tomar sol, ter contato com a natureza, relaxar em espaços abertos, respirar ar puro, ter contato com a terra, cercar-se do verde?

Infelizmente, poucos lugares de São Paulo permitem-nos a soma de todos os elementos acima. Precisamos sair da cidade, andar alguns quilômetros, buscar espaços de sonho...

Nem sempre isto é possível.

Podemos usufruir de pequenos espaços próximos a este ideal: os nossos parques. E São Paulo tem vários parques, FELIZMENTE.

Reivindiquemos, lutemos, gritemos por uma melhor conservação de nossos parques.

Podemos criar um falso ambiente natural? Podemos comparar uma rua de lazer com um ambiente natural?

Não é em ruas de lazer que vamos estar cercados de verde, pisar na terra, ter contato com a natureza, relaxar em espaços abertos, respirar ar puro. A única coisa que podemos aproveitar em ruas de lazer é o sol. Os outros elementos podem continuar em nossos sonhos.

Imagine uma avenida sem nenhum verde, cercada de prédios, com a poluição entranhada em todos os espaços, asfaltada, um pedaço da selva de pedra. Imagine você e seus filhos fazendo um piquenique, sentados no asfalto.

Chega de manipulação! Chega de ilusão! Briguemos pelos parques, pelas praças, pelas árvores, pelo nosso direito de pisar na terra, de sentar na grama, de molharmos os pés em lagos, de respirarmos um ar um pouco mais puro filtrado pelas árvores, pelo relaxamento destes espaços naturais...  

Kátia Issa Drügg

GD Assessoria


Foto: Ricardo Bozza 

Kátia Issa Drügg, 

professora. Graduada em Pedagogia pela USP. Mestre em Filosofia da Educação pela PUC-SP. Trabalhou na Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura Municipal de São Paulo de 1969 a 1995. Foi professora em diferentes Faculdades. É palestrante e consultora em RH. Implanta Programas de Gestão em empresas de diferentes segmentos com vistas à obtenção de certificação. É autora de vários artigos e de livros. Atualmente é Diretora Técnica da GD Assessoria e Superintendente do Instituto Paulista Profissionalizante - IPP.